Archive for Fevereiro, 2008

h1

Uma boa Source List para Debian

23 Fevereiro, 2008

Como já devem ter percebido a minha distribuição preferida é a Debian mais especificamente Debian Testing.

Estou a escrever este post pois uma das minhas dificuldades a quando da mudança foi a escolha de uma boa Source List pois sem uma boa source não é possivel arranjar a maior parte dos programas pelos repositórios o que se torna um pouco incomodo já que os repositórios facilitam em muito a instalação dos programas pois o apt-get/aptitude (gestor de pacotes em distros debian based) faz quase tudo por nós.

Voltando ao que interessa vou postar a minha Source List

#Segurança
deb http://security.debian.org/ testing/updates main contrib non-free

#Debian Testing
deb http://ftp.telepac.pt/pub/debian/ testing main contrib non-free
deb http://ftp.pt.debian.org/debian/ testing main contrib non-free

Estes repositórios são os mais básicos mas para a maioria dos usuários chega.

Para colocar os novos repositórios é necessário editar o ficheiro sources.list para isso usar o comando:

# gedit /etc/apt/sources.list

Feito isto irá abrir uma janela com o editor de texto e ai vão apagar os repositórios anteriores e colocar os novos ou se quiserem acrescentar os novos.

Depois de colocar os novos repositórios é necessario actualizar com o comando:

# aptitude update

Posteriomente se quiserem actualizar a vossa distribuição façam:

# aptitude dist-upgrade

Depois disto tudo se correu tudo bem já têm os vosso repositórios novos e a funcionar.

rkixa

Anúncios
h1

Instalar o Kde 4 no Archlinux

10 Fevereiro, 2008

Como prometido, aqui estão os passos para instalar o KDE 4 no Archlinix.

Primeiro vamos abrir o ficheiro pacman.conf

  • sudo nano /etc/pacman.conf

Depois adicionamos as seguintes linhas no fim do documento:

Depois de gravar, podemos fechar. Depois abrimos a consola e damos um sudo pacman -Sy, para actualizar os repositórios. Após estes estarem actualizados, é hora de instalar. Pode optar por instalar os elementos básicos:

  • sudo pacman -S kdemod4

Ou fazer uma instalação completa:

  • sudo pacman -S kdemod4-complete

Para ficar com o Kde em português basta um sudo pacman -S kdemod4-kde-l10n-pt ou sudo pacman -S kdemod4-kde-l10n-pt_br para português do brasil.

Após isso estará pronto a usar o Kde 4.0.1. Quando estiver a usá-lo, caso o seu pc esteja lento, basta desactivar o composite. Para isso, basta clicar no ícone que aparece no canto superior esquerdo de uma janela qualquer. Clicando nele aparecerá um menu. Escolha “Configurar o comportamento da janela”. Abrir-se-à uma espécie de caixa de diálogo. No lado esquerdo tem um menu, aí escolhe-se “Efeitos de ecrã”. Depois de clicar, no lado direito vão aparecer várias opções. Basta desactivar a que diz “Activar os efeitos do ecrã”. Qualque dúvida é só postar nos comentários 😉

André_23

h1

Mas afinal o que é isso do Kde?

8 Fevereiro, 2008

Essa é a pergunta que muitas pessoas recém chegadas ao Linux fazem. Kde é um ambiente de trabalho para Linux. Há dezenas deles, porém todos eles podem ser divididos em duas categorias: uns foram criados para ser funcionais e completos, outros focam-se na leveza. Dos funcionais destacam-se o kde e o gnome, dos leves podemos referiri o openbox, o fluxbox, o blackbox, entre outros. Temos também um “caso especial”, o xfce, que apesar de ser focado na leveza, é também bastante funcional.

O Kde é, como já disse, funcional e completo, mas esforça-se também para ser leve, porém, não abre mão das suas funcionalidades. Esta nova versão é marcada por um desktop totalmente revolucionário, fazendo uso de plasmoids. Nos plasmoids integram-se a barra de tarefas e aquilo a que toda a gente chama de “widgets”. Um outro recurso do Kde são os efeitos visuais ao maximizar, minimizar e alternar janelas. Mas a melhor parte é que apesar de tudo o que o kde 4 traz de novo, este praticamente não exige mais recursos. 😀

Ainda não se sente tentado a usá-lo? Então veja a galeria de screenshos desta nova versão em:

http://www.kde.org/announcements/4.0/guide.php

Se nunca usou linux ou é um recem chegado a este mundo, pode experimentar o KDE 4 usando o live cd do Ubuntu ou do OpenSuse, mas aconselha-mos o OpenSuse porque já usa o KDE 4.0.1. Basta colocar o live cd no leitor de cds, reiniciar o pc e experimentar. Desta forma poderá experimentar o KDE sem alterar ABSOLUTAMENTE NADA no seu computador.

Download do Live CD do UBUNTU (KDE 4.0.0)

Download do Live CD do OPENSUSE (KDE 4.0.1)

André_23

h1

Lançado o KDE 4.0.1

5 Fevereiro, 2008

Passado um mês do lançamento do KDE 4.0, surge agora a primeira actualização para este fantástico ambiente de trabalho. Esta versão, a 4.0.1, corrige muitos bugs da versão 4.0.0, e traz também uma nova funcionalidade: agora pode-se, finalmente, redimensionar a barra de tarefas. Também fiquei bastante satisfeito ao notar que agora a barra de tarefas exibe apenas as janelas da área de trabalho selecionadas. Muito brevemente publicarei um tutorial de como instalar esta versão do kde no archlinux. Esperem para ver 😉

KDE 4

André_23

h1

Conhecem o Wine???

5 Fevereiro, 2008

Quem disse que não se pode jogar jogos do Windows em GNU/Linux???? Pois é já não têm mais desculpa de dizer que não usam GNU/Linux por não puderem jogar. Como podem ver este SO só tem vantagem por isso aproveitem-o.

Wine (acrónimo recursivo para WINE Is Not an Emulator, sendo que wine traduzido literalmente do inglês para o português significa vinho (a logomarca do Wine é uma taça de vinho) é um projecto para sistemas operativos UNIX que permite a executar nesse ambiente software especificamente concebido para o Microsoft Windows. O WINE funciona como uma camada (semelhante a um emulador) que expõe uma API compatível com a do Windows; ao serem executadas as diferentes funções, o Wine irá traduzi-las para rotinas em UNIX cujo resultado seja idêntico.

O Wine ainda disponibiliza a sua própria biblioteca (Winelib) por forma a que o código-fonte dos programas concebidos para Windows possa ser compilado no ambiente UNIX.

O Wine é também um dos Alphas mais longos de todos. Cerca de 12 anos, tendo sido iniciado em 1993 por Bob Amstadt e Eric Youngdale.
O projeto está atualmente em fase beta mas já roda muitos programas, entre eles:

  • Adobe Photoshop
  • Filezilla
  • Macromedia Flash
  • Microsoft Office
  • Corel Draw
  • Microsoft Internet Explorer
  • mIRC
  • uTorrent

E também jogos muito conhecidos, como: Need for Speed Underground, Need for Speed Underground 2, Need for Speed Most Wanted, Need for Speed Carbon, Max Payne, Max Payne 2: The Fall of Max Payne, Counter Strike, Half-Life, Half-life², entre outros. Há também um fork do Wine conhecido como Cedega (antigo Winex) que visa maior compatibilidade com jogos, tendo implementações mais avançadas do Directx 9.0, tendo suporte à Pixel Shaders 2.0 e Vertex Shaders 2.0, por exemplo.

Fonte: http://pt.wikipedia.org/

rkixa

h1

Demonstração Compiz-Fusion

4 Fevereiro, 2008

Para mostrar que o linux já não fica atrás do Windows e Mac em termos gráficos vai aqui uma demonstração do potencial que o Compiz-Fusion tem usado com qualquer distribuição.

Para ajudar os iniciantes a usufruir desta mais valia a distribuição do Ubuntu a partir da versão 7.10 “Gutsy Gibbon” o Compiz-Fusion já vem incluso e para o usar é só necessário activálo.

Para um maior controlo dos seu efeitos é necessário instalar o Compiz Setting Manager com o comando:

$ sudo apt-get install compizconfig-settings-manager

Agora é só configurar os efeitos desejados e temos um desktop capaz de humilhar o tão bem falado Aero do Windows Vista.

rkixa

h1

Openbox no Archlinux

4 Fevereiro, 2008

Sou o K-23, e juntei-me ao meu amigo rkixa nesta aventura. Espero que gostem do nosso trabalho ;).

No outro dia, como habitualmente, andava a ler os meus blogs de eleiçao. Após ler este post do Terramel, fiquei cheio de vontade de instalar o openbox. Sendo ele tão leve como dizem, e podendo ser assim tão bonito, deitei mãos à obra:

  • pacman -S openbox obconf openbox-themes thunar xcompmgr nitrogen

Isto irá instalar o openbox, um configurador gráfico, temas, um gerenciador de ficheiros bem leve, o xcompmgr é
para aplicar sombras nas janelas e o nitrogen é para usar wallpaper.

Após isso, temos que configurar o openbox, mas primeiro é preciso copiar os ficheiros de definições para a pasta pessoal:

  • mkdir $HOME/.config/openbox
  • cp /etc/xdg/openbox/* $HOME/.config/openbox/
  • gedit ~/.config/openbox/autostart.sh

E adicione a seguinte linha no fim do ficheiro:

  • gnome-panel &xcompmgr -cfC &nitrogen –restore

Atenção! Em restore são dois traços. O wordpress tem um bug que substitui os 2 traços por um travessão.

Caso não tenha o gnome instalado, poderá substutuir gnome-panel por fbpanel ou pypanel. Para instalar basta um pacman -S, estão ambos nos repositórios.

Após isso, podemos então fazer logout e iniciar sessão no openbox. Para selecionar um wallpaper, basta executar nitrogen pasta_onde_está_o_wallpaper e depois é só selecioná-lo. Para alterar o tema e outras definições, clique com o botão direito do rato no ambiente de trabalho e selecione ObConf.
Caso queira, podemos instalar o avant-window-navigator. Para que depois inicie automaticamente, basta executar gedit ~/.config/openbox/autostart.sh e adicionar avant-window-navigator & à ultima linha desse ficheiro. Para finalizar, deixo aqui uma screenshot do meu openbox:

Archlinux-Openbox
(clique para ampliar)
Dou os créditos deste artigo ao Terramel e à wiki do Ubuntu Brasil:

André_23